Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Dar novos mundos ao mundo... ou ao farmaceutico portugues

por chocochino, em 23.01.16

Ser farmacêutico em Portugal não é novidade que não é fácil nos dias que correm. Embora a questão de não ser fácil possa ser bastante subjectiva e uma questão de perspectiva e expectativas... se eu nunca tivesse emigrado e tivesse mantido o emprego em que estava, na altura da decisão, estaria actualmente perfeitamente satisfeito com a situação, e não tendo ponto de comparação com outra realidade talvez me sentisse realizado profissionalmente... ou não...

 

Agora o propósito deste post: semana após semana recebo emails de colegas com perguntas sobre ser farmacêutico em Inglaterra e na Irlanda, mas esta semana foi um comentário a perguntar sobre "ser farmacêutico no Canadá" o que para o qual embora não tenha experiencia pessoal onde possa assentar as minhas opiniões não é um assunto completamente inositado e é algo que cheguei a considerar no passado.

 

Trabalhar como farmacêutico fora de Portugal não se restringe apenas a Inglaterra e Irlanda embora estas sejam as opções mais obvias e fáceis de alcançar:

- Situam-se no espaço comunitário o que facilita a movimentação de pessoas e profissionais assim não há a questão de vistos de trabalho e passaportes

- Estando novamente dentro do espaço comunitário facilita a obtenção de equivalência de curso e inscrição nas ordens locais

- A língua inglesa acaba por ser a segunda lingua que a maioria das pessoas melhor domina

- Ambos os países ficam a pouco mais de 2 horas de avião

- E obviamente os salários e perspectivas de carreira são melhores do que em Portugal

 

Agora outros destinos que considerei num passado não muito longínquo e onde não é invulgar contratarem farmacêuticos internacionais (embora na maioria dos casos prefiram britânicos) e as perspectivas financeiras e/ou de carreira são atractivas

- USA

- Canadá

- Austrália

- Nova Zelandia

- Hong Kong

- Singapura

- Malásia

- Arábia Saudita

- Qatar

- Angola

 

Em todos estes casos a obtenção de vistos de trabalho é/pode ser um desafio.

Nos casos de Canadá, USA, Austrália e Nova Zelândia a inscrição nas ordens locais pode ser um processo moroso e normalmente envolvendo vários exames de teor clínico e legal. E antes de se poder começar a exercer como farmacêutico existe um período de estágio de 3 a 12 meses de parca ou nenhuma remuneração. Resultando que uma mudança para estes países representa um elevando investimento monetário e emocional pois requer uma grande certeza de se querer ir por vários anos e não apenas pela aventura ou a experiencia

Países como Hong Kong, Singapura, Arábia Saudita ou Qatar podem ter vias de acesso mais facilitadas para membros da GPhC e serão mais destinos de aventura e fora do normal para quem quer assentar e criar raizes.

Angola é algo mais especifico para os portugueses mas que já teve mais procura e foi mais atractivo financeiramente do que actualmente mas pode ainda ser uma alternativa.

 

Agora voltando ao comentário em que me pediam informação especifica sobre o Canadá, aqui fica uma vista geral (ou melhor links) sobre o processo de inscrição na ordem (que no Canadá depende do estado onde se pretenda exercer):

Entidade reguladora: Pharmacy Examining Board of Canada (PEBC) (www.pebc.ca)

O processo para pharmaceuticos internacionais: http://www.pebc.ca/index.php/ci_id/4910/la_id/1.htm

Um artigo do Pharmaceutical Journal sobre o processo de inscricao: http://www.pharmaceutical-journal.com/publications/tomorrows-pharmacist/how-to-gain-registration-as-a-pharmacist-in-canada/11089510.article

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:05


6 comentários

De Gerson Pinheiro a 25.01.2016 às 02:12

Quero desde já agradecer pela informação que me forneceu! Foi sem dúvida uma ajuda para perceber melhor como funciona esse todo processo.
Percebi que realmente é um processo bastante demorado e pode ser até dispendioso... Mas acho que no final dará grandes frutos.
Pelo que percebi o farmacêutico no Canadá tem sem dúvida um papel fulcral na saúde publica! E muito reconhecido por todos!
Gostei bastante do que li, principalmente as áreas de intervenção do farmacêutico... É uma realidade completamente diferente da de Portugal.
Já para não falar dos salários bastante aliciantes...
É sem dúvida um caso a ponderar, seria uma aventura bastante enriquecedora em todos os aspetos.
Entretanto, um amigo do meu pai, tem um filho farmacêutico a trabalhar em Newcastle, disse que mal acabou o curso (cerca de 5/6 anos atrás) foi logo para lá trabalhar e diz que tem um salário bastante bom e que vem a casa bastantes vezes. Sabe-me dizer se ainda é possível arranjar emprego para um recém formado e a ganhar bem? Visto que segundo o que diz, UK, para os farmacêuticos não está muito bem também....
Cumprimentos,
Gerson

De chocochino a 27.01.2016 às 10:22

Pois o UK nao está tao bom comparando com o que era 5 ou 6 anos atrás em que bastava querer vir e era practicamente garantido que se encontrava emprego.
Hoje em dia há muito mais concorrencia e pode demorar até se conseguirem entrevistas e empregos.
Quanto a ganhar bem tudo depende da oferta e da procura. É possivel um recem licenciado vir e ganhar bem mas o mais provavel é que comece com um salário modesto principalmente por que nao tem experiencia no UK e está a competir com recem formados britanicos que fizeram cá os seus estágios.

De Leonardo a 14.06.2016 às 21:52

Descobri seu blog recentemente e não interrompo a leitura desde as postagens de 2013. Sou brasileiro, 36 anos, possuo dupla cidadania italiana e neste momento vivo em Londres há 5 dias.
Possuo 15 anos de experiência no Brasil e fui proprietário de algumas farmácias.
Como o sistema de saúde aqui é completamente diferente do Brasil, preciso entender as leis e procedimentos rotineiros. Preciso validar meu diploma para trabalhar como Farmacêutico.
No entanto, pensei em buscar uma vaga em empresas do sector, aprender a rotina enquanto cumpro com a burocracia legal.
Com sua experiencia, o que tem a me dizer?

De chocochino a 15.06.2016 às 22:26

Pois, tendo em conta a concorrencia na procura de emprego no UK, se conseguires uma vaga em farmácia enquanto tratas das questoes legais será depois uma vantagem quando estiveres pronto a concorrer a outros empregos. E como dizes também te ajuda a perceber as diferencas profissionais entre o Brasil e o UK

De Anónimo a 16.06.2016 às 21:10

Mas para tal, como ainda a não conheço as leis Britânicas, há a necessidade de um curso profissionalizante para ingressar nesse trabalho, ou as farmácias poem contratar independente disso? Há a obrigatoriedade de ser inscrito no GPhC?

De chocochino a 22.06.2016 às 22:10

Para trabalhar em como auxiliar de farmácia tens de ter uma formacao em MCA (Medicines Counter Assistant) mas muitas farmácia contratam sem essa formacao e fazes depois de contratado. Neste caso nao é necessário registo no GPhC.
Para posicoes de Pharmacy Technician aí já é necessário registo no GPhC.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D