Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Eid, Locums e Muçulmanos

por chocochino, em 27.10.12

Ontem foi o dia do 'Eid' - a celebração do fim do Ramadão que é um dia de grande importância na religião Muçulmana, em que a família se reúne para rezar e comer (há que matar saudades de tudo o que não se pode comer durante o Ramadão) é algo equivalente ao nosso Natal, talvez tirando a parte de rezar que tenho a dizer que todos os Mulçulmanos que tenho conhecido ultimamente (e são bastantes) levam muito a sério interrompendo o seu trabalho a determinadas horas do dia para rezarem.

 

Portanto ontem foi o 'Eid' mas já tenho marcado no calendário do próximo ano quando será o próximo! Não, não me estou a converter ao islamismo estou apenas a precaver as dificuldades laborais que tive no 'Eid' deste ano, passo a explicar: Como por enquanto sou o único farmacêutico da farmácia de Fleetwood, que está aberta 100h por semana tenho que recorrer todos os dias a locums (farmacêuticos freelance, empregados por conta própria) para cobrir as horas além das 45 que eu trabalho. Reflexos da situação económica em geral e da farmacêutica em particular a abundância de emprego de outrora, tal como em Portugal, também em Inglaterra começa a dar sinais de mudança e também no mercado dos locums há cada vez mais oferta em em relação à procura o que são boas noticias para mim na posição de necessitar de contratar locums, mas mau para o futuro da profissão...

 

Portanto, actualmente, com cerca de 4 semanas de antecedência começo a tratar de preencher os tais turnos que preciso e para tal envio um email a uma lista de farmacêuticos locum da base de dados da Asda e normalmente 10 a 30 segundos depois de primir o botão enviar estou a receber o primeiro telefonema (viva a internet nos telemóveis) e ao fim de 10 minutos tenho um mês de turnos preenchido (depois passo o resto do dia a receber telefonemas e a explicar que todos os turnos já foram preenchidos). Excepto para o caso do dia de ontem 26/10/12 em que não encontrava ninguém disponível, até que um dos locums que tem cá vindo trabalhar (muçulmano), há algumas semans atrás me explicou tudo isto do 'Eid' e associado ao facto de 80% dos locums da lista se chamarem, Mohammed, Ahmed, Sabir, Imran, Usman, Yssuf e outros que tais a soar a árabe e ao seu elevado fervor religioso explicou a dificuldade de encontrar um locum para o dia de ontem. Eventualmente, enviar mais de 100 emails lá consegui 1 locum para fazer um horário reduzido da parte da tarde de ontem (caso contrário tinha de fazer o turno de 16h depois de ontem ter terminado às 23h00). Assim já sei, para o ano que vem nada de tirar férias no 'Eid' e se precisar de um locum o melhor é marcar com antecedência e conseguir um que seja espanhol ou do leste europeu (os mais abundantes, depois dos muçulmanos).

 

Ainda na temática dos locums Muçulmanos, que tal como disse constitui a maioria dos locums, tem sido bastante interessante trabalhar com eles e aprender um pouco mais sobre a sua cultura e costumes, pois por vezes as ideias preconcebidas que temos são em muito influenciadas pelos meios de comunicação social ou por mensagens transmitidas por filme mais ou menos preocupados com a realidade. Assim estava no outro dia a conversar com o Mohammed, que interrompe o seu turno a horas específicas para se fechar na sala de consultas durante 5 min para rezar, e que naquele dia estava constantemente a receber telefonemas em que falava em arábico e depois lá pedia desculpa por ter que atender os telefonemas mas que se tratava de uma situação familiar preocupante (talvez algum caso de doença, um acidente ou algo género pensei eu), não, o drama familiar era o facto de o irmão dele que é 2 anos mais velho (26 anos) não estar casado e aparentemente naquele dia as famílias estavam a arranjar o casamento dele com a noiva. Aparentemente, é mesmo assim que os casamentos se processam (tal como o do Mohammed), os pais combinam os casamentos, as famílias encontraram-se, combinam tudo, e eventualmente os noivos lá se conhecem. Além da religião eles levam o casamento e o dever de procriação muito a sério - O Mohammed terminou o curso há 6 meses, está casado á 6 meses e 1 semana e a 1ª criança chega em Abril. Curiosos são também os casamentos que em norma têm cerca de 2000 pessoas (incluindo familiares distantes que se vêm pela primeira vez no casamento) ao a minha 1ª pergunta foi: onde é que conseguem por tanta gente? Ao que a resposta não foi menos surpreendente: comem à vez, arranjam um sitio com lugar para 200, vão entrando, vão comendo e vão saíndo e dando o lugar aos seguintes... Diferentes culturas...

 

E assim têm sido estes dias de descoberta no mundo dos 'Eids', locums e muçulmanos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:50



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D