Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Farmaceuticos do Mundo - discussao

por chocochino, em 21.02.16

Tendo em conta o interesse e a quantidade de duvidas sobre emigracao que recebo resolvi criar uma página Facebook destinada á discussao e partilha de informacao: 

 

Farmaceuticos do Mundo Facebook

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:50

Dar novos mundos ao mundo... ou ao farmaceutico portugues

por chocochino, em 23.01.16

Ser farmacêutico em Portugal não é novidade que não é fácil nos dias que correm. Embora a questão de não ser fácil possa ser bastante subjectiva e uma questão de perspectiva e expectativas... se eu nunca tivesse emigrado e tivesse mantido o emprego em que estava, na altura da decisão, estaria actualmente perfeitamente satisfeito com a situação, e não tendo ponto de comparação com outra realidade talvez me sentisse realizado profissionalmente... ou não...

 

Agora o propósito deste post: semana após semana recebo emails de colegas com perguntas sobre ser farmacêutico em Inglaterra e na Irlanda, mas esta semana foi um comentário a perguntar sobre "ser farmacêutico no Canadá" o que para o qual embora não tenha experiencia pessoal onde possa assentar as minhas opiniões não é um assunto completamente inositado e é algo que cheguei a considerar no passado.

 

Trabalhar como farmacêutico fora de Portugal não se restringe apenas a Inglaterra e Irlanda embora estas sejam as opções mais obvias e fáceis de alcançar:

- Situam-se no espaço comunitário o que facilita a movimentação de pessoas e profissionais assim não há a questão de vistos de trabalho e passaportes

- Estando novamente dentro do espaço comunitário facilita a obtenção de equivalência de curso e inscrição nas ordens locais

- A língua inglesa acaba por ser a segunda lingua que a maioria das pessoas melhor domina

- Ambos os países ficam a pouco mais de 2 horas de avião

- E obviamente os salários e perspectivas de carreira são melhores do que em Portugal

 

Agora outros destinos que considerei num passado não muito longínquo e onde não é invulgar contratarem farmacêuticos internacionais (embora na maioria dos casos prefiram britânicos) e as perspectivas financeiras e/ou de carreira são atractivas

- USA

- Canadá

- Austrália

- Nova Zelandia

- Hong Kong

- Singapura

- Malásia

- Arábia Saudita

- Qatar

- Angola

 

Em todos estes casos a obtenção de vistos de trabalho é/pode ser um desafio.

Nos casos de Canadá, USA, Austrália e Nova Zelândia a inscrição nas ordens locais pode ser um processo moroso e normalmente envolvendo vários exames de teor clínico e legal. E antes de se poder começar a exercer como farmacêutico existe um período de estágio de 3 a 12 meses de parca ou nenhuma remuneração. Resultando que uma mudança para estes países representa um elevando investimento monetário e emocional pois requer uma grande certeza de se querer ir por vários anos e não apenas pela aventura ou a experiencia

Países como Hong Kong, Singapura, Arábia Saudita ou Qatar podem ter vias de acesso mais facilitadas para membros da GPhC e serão mais destinos de aventura e fora do normal para quem quer assentar e criar raizes.

Angola é algo mais especifico para os portugueses mas que já teve mais procura e foi mais atractivo financeiramente do que actualmente mas pode ainda ser uma alternativa.

 

Agora voltando ao comentário em que me pediam informação especifica sobre o Canadá, aqui fica uma vista geral (ou melhor links) sobre o processo de inscrição na ordem (que no Canadá depende do estado onde se pretenda exercer):

Entidade reguladora: Pharmacy Examining Board of Canada (PEBC) (www.pebc.ca)

O processo para pharmaceuticos internacionais: http://www.pebc.ca/index.php/ci_id/4910/la_id/1.htm

Um artigo do Pharmaceutical Journal sobre o processo de inscricao: http://www.pharmaceutical-journal.com/publications/tomorrows-pharmacist/how-to-gain-registration-as-a-pharmacist-in-canada/11089510.article

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:05

O que custa o custo de vida em Inglaterra

por chocochino, em 08.01.16

A segunda pergunta mais frequente que recebo depois de "como é que faco para trabalhar como farmaceutico em Inglaterra" tem de ser em relacao ao custo de vida.

Obviamente tudo dependo do local do pais e do estilo de vida que se pretende... tal como em Portugal, mas existem coisas que sao comuns ou que se podem investigar depois de se ter uma ideia para on se vai.

- Habitacao:

Se nao se tem ninguem conhecido disposto a oferecer alojamento existem algumas opcoes com diversas variedades de conforto e para diferentes bolsas:

- Alugar uma casa ou apartamento - ter em conta que geralmente nao vem mobilada e adicionalmente ao custo da renta também é da conta do inclino pagar as contas de água, gás e electricidade e o "City Council Tax" de depende da zona do pais e da propriedade mas que anda á volta das £100 por mes

sites:

http://www.rightmove.co.uk/ - compra e aluguer

http://m.zoopla.co.uk/ - compra e aluguer

https://www.gumtree.com/ - site de classificados

 

- Alugar apenas um quarto - é uma opcao muito mais economica mas obviamente com menor privacidade. Normalmente o preco inclui todas as despesas.

http://uk.easyroommate.com/

http://www.houseshare.com/

 

Para os primeiros tempos pode-se sempre recorrer a hoteis e B&Bs

- Hoteis

http://www.booking.com

-B&B

https://www.iknow-uk.com/

 

Ou para que tem esse espirito de aventura há sempre a hipotese do couchsurfing para os primeiros tempos

https://www.couchsurfing.com/

 

- Alimentacao

 

Este ponto é obviamente muito dispar e depende do que se pretende. Ficam aqui apenas links algumas cadeias de supermercados para pesquisar os precos dos produtos e sites de comparacao de precos

http://www.asda.com/

www.tesco.com

http://www.mysupermarket.co.uk/

 

- O resto

 

Claro que nos primeiros tempos tudo tem de ser comprado de novo... desde colcao, a sofas, a torradeira, escovas de dentes... e por pouco de dinheiro que custem algumas coisas tudo somado já representa um bom investimento. Nos hipermercados pode-se encontrar todos os essencias mas existem outras opcoes:

- www.ebay.co.uk/ - para produtos em segunda mao e nao só

- https://uk.freecycle.org/ - podem-se obter vários tipos de produtos gratuitament

- www.argos.co.uk/ - uma cadeia de lojas onde se compra produtos a partir de um catálogo. Geralmente a precos bastante atractivos. Practicamente todas as cidades em Inglaterra teem pelo menos uma destas lojas.

 

- Transportes

 

Aqui existem as alternativas do costume: autocarros, comboios e taxis

Os autocarros tendem a ser sempre o meio mais economico e os comboios podem ser dispendiosos. Um grande diferenca em relacao a Portugal é o facto de o precos dos bilhetes de comboio variar dependendo da altura em que se compra (semelhante aos bilhetes de aviao)

 

http://uk.megabus.com/

http://www.nationalrail.co.uk/

 

Em geral estes sao os custos mais prementes para quem emigra. Em relacao a restaurantes, bares, vida noctura e hobbies vai-se descobruindo com o tempo

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:57

Emigracao, para sofrer, para gozar ou para ficar

por chocochino, em 14.10.15

Agora que muito se fala de emigracao há que ter em conta que existem vários tipos de emigracao e pensar bem porque se quer emigrar e desse modo avaliar melhor a decisao.

Para a maioria a ideia advem da necessidade económica e da escassez de emprego mas para outro poderá ser uma questao de procurar novos desafios profissionais, viajar, conhecer outras culturas e alargar horizontes.

Mas o essencial é considerar que tipo de emigraracao se considera:

- Emigracao para sofrer - sair do país pelo minimo tempo possivel com o objectivo de poupar o máximo para rápidamente regressar

- Emigracao para gozar - usufruir ao máximo da experiencia, viajar, disfrutar do que o país tem a oferecer sem fazer grandes poupancas

- Emigracao para ficar - construir uma vida num novo pais, com financas equilibradas, comprar uma casa, pensar na reforma, fazer poupancas,cuidar da vida familiar

 

Por vezes nao pensamos bem no nosso objectivo e isso leva a uma insatisfacao constante, uma insatisfacao inerente do facto de o novo país ser diferete de Portugal, diferente clima, diferente, comida, diferentes costumes, diferentes pessoas... Isto pode parecer obvio mas conheco muitos emigrantes que embora nao se apercebam sao infelizes e nao se integram porque estao constantemente frustrados e infelizes com a mudanca pois embora pretendam emigrar para ficar vivem uma emigracao para sofrer em que vivem no seu mundo próprio, disfrutando os dias em que comem o chourico ou o bacalhau que trouxeram de Portugal mas odeiam os dias que teem de comer shepards pies e haggis...

Eu nao digo que nao aprecie o nosso belo bacalhau... mas aprecio-o quando estou em Portugal e evito traze-lo na mala na viagem de volta. Uma pessoa nao pode viver no passado e na saudade tem de aproveitar o presente e o que ele tem para oferecer.

Mas nem toda a gente pensa desta maneira e nao há nada de errado nisso mas o que eu tento fazer ver é que tem de se estar preparado para isso e ser uma escolha pensada.

Se o objectivo é poupar o máximo possivel entao tem de se estar consciente e aceitar o facto de que se vai apenas alugar um quarto e nao ter a privacidade de uma casa completa, nao se vai sair para cafe como em portugal, vai-se passar muito mais tempo em casa, pois cá o café nao custa 60 centimos, nao se vai tanto a restaurantes, cinema, etc O que depois nao pode acontecer é estar-se recentido do estilo de vida em Inglaterra pois somos nos e as nossas escolhas que decidimos esse estilo de vida.

E quando falo das diferentes vertentes da emigracao nao falo de escolhas imutaveis, diferente alturas da nossa vida proporcionam diferentes opcoes. Eu sai de Portugal há mais de 10 anos em busca da experiencia profissional mas também do dinheiro, com o objectivo de ir por um curto periodo e poupar dinheiro para voltar. Os anos passaram e o objectivo de poupanca comecou a relaxar um pouco. O passo seguinte foi completamente o oposto abandonar tudo e mudar-me para a China com o unico objectivo de viajar e descobrir "novos mundos" (qual bom portugues que sou). A etata de Inglaterra veio após uma tentativa frustrada de assentar em Portugal e nao conseguir emprego e como tal vim para Inglaterra desta vez com a conviccao que será até á reforma e como tal a minhas opcoes actuais sao diferentes das que tinha quando pela primeira vez aterrei na Irlanda.

 

10959402_393675170803418_2330877653337397315_n.jpg

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:51

Encruzilhadas

por chocochino, em 23.08.15

Tinha andado um pouco esquecido deste blog mas a ultima enxurrada de comentários e emails relembrou-me do mesmo...

 

Portanto á cerca de um ano comecava a minha ligacao aos Médicos Sem Fronteiras, uma causa extremamente meritória e sem dúvida digna de apoio. Mas a vida é feita de encruzilhadas e escolhas e assim após a minha entrada no registo de profissionais de saude dos MSF eis que vem mais uma dessas escolhas... no espaco de 1 semana sou deparado com: por um lado uma missao de 1 ano na fronteira Turquia/Siria por outro um promocao na ASDA e o establecer de raizes em Inglaterra... bem talvez seja a idade ou mudancas a nivel pessoal mas desta vez a opcao pela aventura acabou por perder em relacao á opcao da estabilidade... mas nao é um adeus aos MSF mas um até breve... até á próxima pausa de carreira ou até á reforma mas estou convicto que é apenas um até breve.

 

Entretanto a vida de farmacéutico em Inglaterra continua com os seus desafios profissionais com a pressao de cada vez mais farmaceuticos registados no GPhC a pressionarem os salarios numa curva descendente e a competicao entre locums cada vez maior... mas nao existe País das Maravilhas o que existe é realidade e a crenca que os bons profissionais continuam a ser reconhecidos e quem trabalha arduamente é recompensado.

 

A minha experiencia pessoal é essa, embora existam alguns menos bons profissionais a conseguirem empregos e promocoes a maioria continua a ir para aqueles que se destacam pelo seu trabalho e dedicacao.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:01

Farmacêuticos do Mundo

por chocochino, em 03.08.14

Entre mudanças a nível pessoal como a constante tentação pela aventura tenho andado mais focado em fazer do que em escrever... 

 

Quanto à tentação da aventura, tenho andado a tentar concilia-la com a estabilidade de um emprego que hoje em dia não é algo fácil de abrir mão em troca de algo incerto por mais apetecível que seja.

 

Assim, tendo deixado para trás à muito o conceito de que sou um farmacêutico português e sendo agora um farmacêutico do mundo tenho andado a pesquisar projectos que possa abraçar e conciliar com a possibilidade que a ASDA me dá de poder pedir 1 ano de pausa de carreira e manter o meu vinculo com eles.

 

Num ano muita coisa se pode fazer e o facto de se estar registado no GPhC abre mais portas do que apenas do que as do Reino Unido assim:

 

- Estou agora oficialmente ligado aos Médicos Sem Fronteira (MSF) e à espera da sessão de indução em Londres e do treino pré-missão na Alemanha antes de partir por 9 meses em ajuda humanitária.

- Outras hipóteses também existentes neste momento nos sites de emprego do UK são: trabalhar no Quatar em hospital ou nas Bermudas em comunitária.

 

Portanto outros dos problemas da imigração é a necessidade de continuar a fazer algo diferente... e como alguém lhe chamou a eterna sensação de "itchy feet"

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:52

Mercado de trabalho pouco movimentado mas ainda em movimento

por chocochino, em 12.03.14

Uma coisa se tem vindo a acentuar em Inglaterra nos últimos tempos e é o abrandar do mercado de trabalho para farmacêuticos por terras Britânicas. Para isso têm contribuído vários factores como seja a diminuição de vagas com o arrastar da crise e a necessidade de esticar ao máximos os recursos existentes (sector público e privado) quer pelo aumento continuo de recém licenciados ingleses (ou em Universidades Inglesas).

 

Assim o número de vagas anunciadas tanto a nível de farmácia comunitária como a nível de hospitalar tem vindo a decrescer drasticamente. No entanto nunca estagnando, existindo sempre farmacêuticos a sair para outros empregos dentro mesmo grupo de farmácias, para grupos concorrentes, uns que se mudam para outras zonas do país, alguns emigrantes que regressam ao país de origem, há também aqueles que passam a part time ou abandonam posições permanentes para se dedicarem a fazer apenas locum (nomeadamente mães recentes que pretendem apenas trabalhar ocasionalmente quando têm quem tome conta dos filhos).

 

Por outro lado começa-se também a ver o surgimento de outras funções para farmacêuticos a nível de serviços clínicos, nomeadamente em revisão terapêutica e implementação de guidelines, trabalhando para clinicas médicas ou para empresas que fazem o outsourcing desses serviços.

 

Um coisa é certa é que está cada vez mais difícil a farmacêuticos sem experiência em Inglaterra a entrar no mercado de trabalho pois concorrendo com farmacêuticos formados por cá ou com anos de experiência em Inglaterra partem sempre em desvantagem e a não ser que ofereçam algum tipo de mais valia dificilmente serão sequer chamados para entrevistas.

 

Mas apesar de pouco movimentado continua a existir algum movimento de farmacêuticos neste mercado de trabalho com cada vez menos opções.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:13

Queria saber se terias a paciência para me dar algumas informações sobre trabalhar no Reino Unido

por chocochino, em 08.11.13

Tenho andado um pouco esquecido de escrever qualquer coisa no blog em parte por andar entretido a responder aos imensos emails que me enviam colegas em busca de informação:

 

"queria saber se terias a paciência para me dar algumas informações sobre trabalhar no Reino Unido..."

 

"surgiu -me uma pequena dúvida relativamente ao registo na GPhC..."

 

"O sistema de trabalho é diferente, como é eu vou saber o que fazer..."

 

"Nesta altura já enviei mais de 200 currículos para praticamente todo o país mas emprego nada, a menos que morra alguém de velhice.

Desabafos a parte, o que eu gostaria de saber é o seguinte: o que é preciso fazer para ir trabalhar para Inglaterra?"

 

Assim em vez de fazer posts sobre eventos esporádicos que ocorrem em Inglaterra vou escrever um pouco sobre uma temática bastante mais relevante e de (infelizmente) interessa cada vez mais crescente à classe farmacêutica portuguesa: trabalhar como farmacêutico em Inglaterra.

 

- Primeiro à que ser realista, o mercado de trabalho em Ingleterra, embora longe da situação actual em Portugal, não está nada fácil para quem vem de fora e sem experiência pois a concorrência já é bastante e a oferta de emprego não é comparável ao que se passava à alguns anos atrás. Mas para quem não tem nada em Portugal e se quer aventurar no estrangeiro continua a ser uma hipótese embora não uma garantia de sucesso.

 

Agora quanto às perguntas mais frequentes que me têm feito:

 

I.  "seria possível envia-me a descrição mais detalhada do que tenho que fazer para iniciar este processo (ideias bases, por onde começar, etc)"

 

Esta é a resposta, em linhas gerais, que tenho dado

 

1. Para trabalhar no UK é essencial estar inscrito na GPhC (General Pharmaceutical Council) - equivalente da nossa ordem. Tens aqui o link para os requisitos:
http://www.pharmacyregulation.org/registration/registering-pharmacist/eea-qualified-pharmacists

2. Não é requisito obrigatório mas a maioria das propostas de emprego requer certificações em MUR e NMS (Medicines usage review e New Medicines Service).

Podem ser obtidos à distância a partir destes sites:
http://www.skillsformurs.co.uk/redirect/Redirect.action
http://www.cppe.ac.uk/

3. Exitem inumeras agências e sites de emprego para a nossa área. É uma questão de veres a oferta que têm e contactá-las

Aqui ficam algumas:
http://www.ppruk.com/
http://www.pharmfinders.co.uk/
http://www.flamehealth.com/
http://www.chemistanddruggistjobs.co.uk/jobs/
http://www.jobs.nhs.uk/
https://ec.europa.eu/eures/

4. Não existe nenhum requisito oficial de língua mas qualquer certificado ou qualificação será sempre uma mais valia para o CV.

 

II. ". surgiu -me uma pequena dúvida relativamente ao registo na GPhC. Se não fosse incómodo gostaria que me pudesses esclarescer. Para certificar os documentos é necessário que o advogado esteja registado no Reino Unido ou basta um advogado português que possa certificar na língua inglesa? Será possível tratar disso em Portugal ou terei de ir lá certificar os documentos? Por quanto ficará mais ou menos certificar (sem traduzir porque no caso nao é preciso) o diploma, a cópia do passaporte e a certidão de nascimento?"

 

O advogado para certificar as cópias dos documentos tem que estar registado no Reino Unido. Quando fiz as minhas certificações contactei a embaixada inglesa e eles direccionaram-me para o website para uma lista de advogados a trabalhar em portugal e em que alguns estão igualmente registados no Reino Unido e portanto obedecem aos requisitos da GPhC.

A advogada que utilizei foi a seguinte:
http://www.patricio-law.com/

A certificação do passaporte custou-me cerca de €40.                                                                                           

A certidão de nascimento enviei o original pois é mais barato pedir uma nova do que certificar uma cópia...


III. "O sistema de trabalho é diferente, como é eu vou saber o que fazer? Existe adaptação? Alguma espécie de estágio? Ou se for contratado sou entregue aos lobos?"

 

Quanto ao sistema ser diferente e ao periodo de adaptação tudo depende da farmácia/companhia que te contratar, podes ter um periodo de adaptação (não pago ou pago a valor inferior ao teu salário), podes ser support pharmacist e trabalhar sempre com outro farmacêutico (por que cá é comum seres o único farmacêutico e o resto ser técnicos de farmácia) ou podes ser posto logo a trabalhar.

Claro que depende de ti a preparação que faças antes de vir, tanto a nível de inglês técnico quer de te preparares para o sistema de cá (NHS) e a a própria adaptação ao sistema informático.

Um excelente recurso é o BNF (British National Formulary) que podes comprar na net.

Neste site podes pesquisar por principio activo e ver as marcas utilizadas por cá em farmácia http://www.medicines.org.uk/emc/

Aqui podes encontrar tudo sobre o processo de dispensa de uma receita: http://psnc.org.uk/dispensing-supply/

 

IV. "Qual a diferença entre um pharmacist, support pharmacist e relief pharmacist?"

 

Na farmácia trabalham farmacêuticos e o equivalente aos nossos técnicos de farmácia embora a organização e hierarquia sejam algo diferente de Portugal. Em Inglaterra nenhum técnico pode dispensar uma receita sem que os medicamentos desta sejam validados por um farmacêutico e normalmente são os técnicos que estão ao balcão e mais raramente os farmacêuticos.

Funções na farmácia
- Farmacêutico
  * Superintendent Pharmacist - Responsável por toda uma cadeia de farmácias (Não se vêem muitas ofertas para estas posições. Mt responsabilidade. Mt bem pagas)
  * Pharmacy Manager - Director Técnico e gestor da farmácia
  * Support Pharmacist - Segundo farmacêutico numa farmácia em que outro farmacêutico é Manager
  * Relief Pharmacist- Segundo farmacêutico que trabalha em diferentes farmácias do mesmo grupo Normalmente requerem que o farmacêutico tenha viatura própria

- Técnicos de Farmácia
  * MCA - Medicines Counter Assistent - pode dispensar e aconselhar OTCs
  * DA - Dispensing Assistent - pode dispensar receitas sob supervisão farmacêutica
  * ACT - Accuracy Checking Technicians - podem validar receitas

Se quiseres saber mais sobre os graus de técnicos podes ver neste site fornece treino para as diferentes funções:

http://www.buttercups.co.uk/website/website.nsf/lookupcontent/Index.html!opendocument


V. "Como é que eu sei quanto é que é o salário depois de impostos?"

 

salários aqui são sempre apresentados em salário bruto por ano.
Para um farmacêutico sem experiência deverá andar entre os £30.000 e £35.000 por ano dependendo da zona do país, quanto mais remoto o sítio melhor pagam...
Para saber qt é que isso dá em € limpos ao fim do mes usa estes 2 sites:
http://www.thesalarycalculator.co.uk/salary.php - converte salario bruto em limpo
http://www.xe.com/ - converte libras em euros

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:47

Conferência da ASDA

por chocochino, em 26.06.13

Foi já no mês passado a conferência da ASDA que juntou em Birmingham Farmacêuticos, Optometristas e ATMs (os reponsáveis comerciais por esses departamentos dentro de cada supermercado).

O facto de se juntar Farmácia e Óptica foi inovadora este ano pois até então tinham sido eventos separados e a presença dos ATMs nunca tinha acontecido.

 

Assim passamos 2 dias intensos em Birmingham com eventos desde as 7:30 até às 17:30 e um jantar de gala pelo meio.

 

Como não podia deixar de ser existiram os seus momentos Wal-Mart (americanizados) em que cada farmacêutico devia pegar na mão do seu ATM e dizer-lhe "estou muito feliz por estares aqui pela primeira vez"... felizmente nesta altura tinha perdido o meu ATM e estava junto de outros farmacêutico, para grande alivio de ambos passou-se este momento.

 

O restante do dia passou-se entre palestras sobre a situação global da ASDA no ano que passou, como somos melhores que toda a concorrência e que temos de continuar a crescer e evoluir. Alguns sketches de humor pelo meio (estilo stand up comedy), algumas sessões mais técnicas sobre produtos que vendemos na farmácia a cargo dos delegados de várias companhias e no final do primeiro dia o tal jantar de gala e entrega de prémios às melhores farmácias, ópticas, managers, colegas, etc... Não calhou nada para as nossas bandas, mas o jantar foi bastante agradável para rever farmacêuticos que apenas conhecia de falar ao telefone, rever alguns conhecidos, encontrar outros dos tempos da Irlanda que agora também trabalham para a ASDA, tudo isto enquanto tentava acompanhar o meu ATM a beber cerveja, o que desisti à 3a rodada de cervejas (cada rodada consistia em 2 pints de cerveja ou seja quase 1,5L por rodada) deixando-do-o alegremente com outros ATMs a beber enquanto dava por terminada a noite e tentava recuperar para o dia seguinte, novamente às 7:30.

 

No dia seguinte descendo no elevador às 7 da manhã para o pequeno almoço abundavam as olheiras e o cansaço e ainda nos cruzamos com um farmêutico ainda vestido com o traje de gala da noite anterior que descalço procurava os sapatos...

 

Com os estômagos algo revoltos nada como um belo pequeno almoço inglês de bacon, salsichas e ovos para começar o dia!

 

Segundo dia semelhante ao primeiro (tirando as pestanas mais pesadas) e 17:30 estávamos de novo a caminho de Fleetwood para cerca de 3h de viagem, eu e o meu ATM.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:27

DÁ CÁ UM BACALHAU Ó... BACALHAU

por chocochino, em 03.04.13

Hoje descobri uma curiosa ligação (ou talvez não) entre Fleetwood e Portugal (além da existência de farmacêuticos portugueses pelas redondezas) existe também o gosto pelo bacalhau.

 

Infelizmente ainda não encontrei o fiel amigo salgado e espalmado mas para além da existência do mesmo fresco, filetado ou panado é possivel observá-lo a passear pelos relvados do clube local de futebol que é carinhosamente conhecido por Cod Army ou Exército do Bacalhau: Posso portanto estar na unica terra em que é possivel dar um bacalhau ao bacalhau :)

 

 

DÁ CÁ UM BACALHAU Ó... BACALHAU

 

Não que dê para matar saudades culinárias mas sempre dá para uns quantos sorrisos.

 

FERVOROSOS ADEPTOS DO BACALHAU

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:05


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D